fbpx

Cursos Intensivos

Cadeia do Frio

Em conformidade com Guias Nacionais e Internacionais e RDC Nº 430/2020 ANVISA

O curso tem como objetivo formar profissionais para exercer atividades relacionadas a todas as etapas da Cadeia do Frio, desde a escolha e qualificação da embalagem térmica, passando pela operação de comércio exterior até a última milha, com base nos requerimentos dos Guias Nacionais e Internacionais e na RDC nº 430/2020 ANVISA.

EAD Turma Início das Aulas
Via Internet – Telepresencial 02 27/Julho/2021
Dias e Horários (GMT – 03h00) Brasília
Aulas semanais Terça-feira (18h30 às 22h30)

Valor e Formas de Pagamento Inscrição Online (Brasil) Inscrição Online (Internacional)

  • Perfil Profissional / Mercado de Trabalho

    Entende-se por cold chain ou cadeia fria, o sistema de conservação, manuseio, transporte e distribuição de produtos farmacêuticos, produtos para saúde, produtos diagnósticos, produtos veterinários, cosméticos, alimentos e afins, com temperatura controlada, desde a saída do laboratório fabricante até o paciente final, com garantia de integridade, a fim de que não haja comprometimento em relação a sua segurança e eficácia. O objetivo do sistema é que todos os elos da cadeia mantenham a qualidade do produto durante a armazenagem e o transporte, de acordo com os requisitos aprovados no registro do produto.
    No Brasil, as atividades que envolvem a logística de produtos com tempo e temperatura controlados são regulamentadas pelos órgãos de vigilância sanitária nas esferas federal, estadual e municipal. Em todas as etapas que compõem este processo, desde a qualificação de uma embalagem térmica, a ser utilizada durante o transporte, até o local de armazenamento, é necessário ter estudos que comprovem ao usuário se os requisitos a que o sistema se propõe estão sendo devidamente cumpridos. Estes estudos estão baseados em normas e guias nacionais e internacionais, minuciosos e bastante específicos em suas particularidades. Para a implementação e manutenção de toda a cadeia fria, são necessários profissionais que saibam lidar com as dificuldades do dia-a-dia nos processos logísticos das empresas.
    Desta forma, a atuação neste segmento do mercado requer profissionais devidamente qualificados e habilitados para que sejam minimizados os riscos à segurança e à qualidade dos produtos que requerem temperatura controlada, essenciais à saúde humana e animal.

    A Quem se Destina

    Profissionais que atuam, direta ou indiretamente, na produção, armazenagem, transporte e distribuição de produtos farmacêuticos, produtos para saúde, produtos diagnósticos, produtos veterinários, cosméticos, alimentos e afins, que necessitem de tempo e temperatura controlados, tais como, farmacêuticos, tecnólogos em logística, engenheiros, entre outros. Indicado, também, a docentes e estudantes de cursos de graduação nas áreas relacionadas.

  • Competências Desenvolvidas no Egresso

    Ao término do curso, o profissional será capaz de:

    • Compreender o conceito de Cadeia de Frio e aplicá-lo em sua prática diária;
    • Compreender os aspectos envolvidos na qualificação térmica de embalagens, equipamentos e ambientes;
    • Elaborar protocolos e relatórios relativos às etapas envolvidas na cadeia fria;
    • Avaliar e elaborar documentações pertinentes às qualificações requeridas;
    • Desenvolver a análise crítica dos processos logísticos, envolvidos na cadeia fria, e discutir as adequações necessárias para atender à realidade local, de acordo com as exigências regulatórias;
    • Reconhecer a importância do treinamento operacional e da conscientização dos colaboradores sobre a necessidade de garantir e manter a qualidade dos processos envolvidos com a cadeia fria;
    • Adequar procedimentos e acordos de qualidade para manter o status qualificado das operações e sistemas;
    • Participar da implementação de logística de produtos com tempo e temperatura controlados;
    • Conhecer as melhores práticas adotadas para a logística de produtos de cadeia de frio.
  • Temas Desenvolvidos no Curso

    Programa do Curso Carga Horária
    Introdução à Logística e Cadeia do Frio: Conceitos de Cadeia do Frio; Soluções Passivas e Ativas de Transporte; Conceitos de Logística, Armazenamento e Assuntos Regulatórios; Logística Reversa. 16h
    Requerimentos Normativos e Diretrizes Internacionais em Cadeia do Frio: Novas Tecnologias aplicadas a Cadeia do Frio; Cadeia de Distribuição – do Produtor ao Paciente (PDA 46); RDC Nº 430 ANVISA com foco em Cadeia do Frio. 4h
    Qualificação Térmica: Qualificação de Embalagens Térmicas (Guia da ANVISA e Guias Internacionais, Conceitos de QD – Qualificação de Desenho, QO – Qualificação de Operação e QD – Qualificação de Desempenho, Protocolo de Testes, Elaboração de Perfil Térmico para Qualificação de Operação); Mapeamento Térmico de Rotas para Atendimento à RDC 430/2020; Mapeamento Térmico de Áreas, Equipamentos e Veículos; Documentação Aplicada a Qualificação – Análise de Risco, de Requerimentos de Usuário a Relatório; Manutenção do Status Qualificado – Treinamento e Gerenciamento de Riscos (ICH Q9).
    Estudo de Casos de Qualificação de Embalagens Térmicas; Prática de Mapeamento Térmico de Áreas, Equipamentos e Veículos; Prática de Documentação Aplicada a Qualificação Térmica.
    32h
    Monitoramento Térmico: Tratamento de Excursões Térmicas; Avaliação da Temperatura Interna Durante Recebimento de Carga; Soluções em Monitoramento Térmico; Conceitos de Calibração e Metrologia Aplicados a Cadeia do Frio. 12h
    Cadeia do Frio em Portos e Aeroportos: Cadeia do Frio em Aeroportos e Terminais Alfandegários; Certificação CEIV Pharma (Centre of Excellence for Independent Validators) da IATA (International Air Transport Association); Cadeia do Frio no Modal Marítimo. 12h
    Cadeia do Frio na Indústria Farmacêutica: Visão do Setor Industrial; Qualificação, Gestão e Relacionamento com Fornecedores; Cadeia do Frio em Pesquisa Clínica.
    Estudo de Casos.
    16h
    CARGA HORÁRIA TOTAL
    As cargas horárias das aulas poderão sofrer alterações, em beneficio da formação dos alunos, em função da necessidade de atualização de conteúdo ao longo do curso.
    92h


    É uma prerrogativa institucional, inverter disciplinas e temas de aula, substituir docentes, assim como alterar datas, de acordo com a construção do calendário e também da disponibilidade de auditórios da instituição, respeitando a carga horária total do curso. Nestas situações, os alunos serão informados com antecedência, exceto em casos fortuitos ou de força maior.

  • Descrição das Atividades Práticas

    Aula Prática sobre qualificação de embalagens térmicas com a finalidade de colocar o profissional frente aos materiais disponíveis para a montagem de um sistema passivo, fazendo com que ele conheça seu processo de seleção e saiba como montar um perfil térmico para operação. Esta atividade busca proporcionar o contato com as documentações exigidas nos estudos de qualificação e, ainda, oferecer a oportunidade de realização de atividade prática de qualificação de ambientes e de equipamentos.

    Supervisão Técnica

    Liana Papapietro Galvão Montemor
    Farmacêutica, graduada pela Universidade Anhembi Morumbi. Pós Graduada em Cosmetologia pelas Faculdades Oswaldo Cruz. Possui Certificado da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) como Validador Independente da CEIV Pharma – Centre of Excellence for Independent Validator. Foi Gerente Técnica do Valida Laboratório de Ensaios Térmicos, empresa do Grupo Polar, por 11 anos e Vice-Presidente do ISPE afiliada Brasil (Biênio 2015/2016). Coordenadora e Coautora do Livro “Manual Brasileiro de Boas Práticas de Cadeia de Frio” – ISPE Brasil e Coautora do Livro “Cadeia Fria: Guia Sindusfarma para a Indústria Farmacêutica”. Atualmente, é Diretora Técnica e Estratégica em Cold Chain do Grupo Polar, Líder do Comitê de Cold Chain da ISPE Brasil, Líder do Comitê Women in Pharma da ISPE Brasil, Líder do Comitê de Logística Farmacêutica da Associação Brasileira de Logística, membro do Comitê Executivo de Logística do Sindicato das Indústrias Farmacêuticas do Estado de São Paulo (Sindusfarma). Docente do Curso de Pós Graduação em Logística Farmacêutica da Universidade Santo Amaro. Docente do Instituto Racine.

    Coordenação

    Clayton Gerber Mangini
    Farmacêutico, graduado pela Faculdade de Farmácia e Bioquímica da Universidade Católica de Santos e Habilitado em Farmácia Industrial pela Faculdade Oswaldo Cruz. Doutorando em Gestão de Sistemas de Operação do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Paulista. Mestre em Gestão e Tecnologia em Sistemas Produtivos pelo Centro Paula Souza. Especialista em Administração Industrial pela Fundação Carlos Alberto Vanzolini da Universidade de São Paulo. MBA em Gestão Empresarial com Ênfase em Logística Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas. Tecnólogo em Gestão Portuária e em Logística, graduado pela Faculdade de Tecnologia da Baixada Santista. Membro do Comitê de Logística Farmacêutica da Associação Brasileira de Logística. Membro da Comissão Assessora de Distribuição e Transporte do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo. Membro da Comissão de Estudo de Transporte de Produtos Perigosos (CB-16 ABNT). Coordenador de Cursos e Docente do Instituto Racine.

    Corpo Docente

    Os professores que integram o corpo docente dos cursos do Instituto Racine de Educação Superior são titulados e/ou qualificados, congregando competências técnicas e humanistas à visão sistêmica das perspectivas socioambientais e mercadológicas das áreas em que atuam. São doutores, mestres, especialistas e/ou docentes com vasta experiência profissional.

    Método de Ensino e Aprendizagem

    O método de ensino e aprendizagem está baseado em um planejamento didático-pedagógico que congrega diversas formas de estudo para compor a carga horária total do curso. Assim, o aluno terá como desenvolver seu conhecimento a respeito dos temas constantes do conteúdo programático do curso por meio de videoaulas, exercícios dirigidos, exercícios de fixação do conhecimento, materiais de leitura complementar, entre outros. Essa diversidade de formas de estudo e o acesso planejado por etapas contribui para que o aluno seja um agente ativo em seu próprio aprendizado, desde que haja participação efetiva em todas as atividades propostas no projeto pedagógico do curso.


Facebook
LinkedIn
Instagram